13.9.15

As ruínas de Olympos

Olympos foi uma cidade lícia localizada perto da costa a sul da cidade de Çıralı, na província de Antália. Juntamente com Phaselis e Idyros faz parte do Parque Nacional Olympos Beydağları.



Sarcófago do capitão Eudemos


Olympos remonta pelo menos ao período helenístico e o seu nome deverá estar relacionado com a proximidade do Monte Olympos (Tahtalı Dağı). Os fogos perpétuos de Yanartaş localizam-se poucos quilómetros a noroeste.

Tem um pequeno teatro, termas romanas com mosaicos, sepulturas lícias romanas e bizantinas, uma igreja bizantina, uma necrópole com mais de duzentas sepulturas com inscrições e muralhas, talvez do período em que a pirataria ameaçou a prosperidade da cidade (século III).

Foi abandonada por completo no século  XV.




Arykanda


Arykanda é uma antiga cidade Lícia, localizada perto da pequena aldeia de Aykiriçay, na província de Antália.


Remonta ao século VII A. C., mas a maior parte dos seus vestígios datam do século V A.C. ao período romano, quando a cidade conheceu a sua fase de maior prosperidade. A cidade foi fortemente atingida por um terramoto no século III, tendo sido abandonada durante mais de mil anos. Os seus habitantes converteram-se ao cristianismo no século III, e foi um centro urbano até ao século XI. Apresenta um bom estado de conservação.


As ruínas da cidade são constituídas nomeadamente pela "rua das sepulturas", por sete complexos termais com paredes com dez metros de altura e com dois níveis de janelas, um templo cristão, uma agora com vestígios de lojas, um teatro proeminente e bem preservado, para além de um estádio com uma vista privilegiada sobre o vale.



28.3.15

Cidade subterrânea de grande dimensão encontrada na Capadócia

O que começou por ser uma escavação para a construção de um complexo residencial na Capadócia, na Turquia, acabou por se traduzir na descoberta de uma cidade subterrânea gigante da época bizantina, onde túneis esculpidos em rocha vulcânica serpenteiam a vila. Terá servido de esconderijo para os cidadãos da região perante a ameaça de invasores, afirma a revista norte-americana National Geographic.
 
Descoberta por baixo de um castelo situado num monte em Nevşehir, a capital da província, a cidade subterrânea remontará ao início da época bizantina. Apesar do local ainda não ter sido muito explorado, estudos iniciais sugerem que a sua dimensão e características podem destronar a cidade de Derinkuyu, que se constitui atualmente como a maior cidade subterrânea na mesma região de Capadócia, de dimensões suficientes para abrigar cerca de 20.000 pessoas.
A Capadócia é uma região turca famosa pelas suas casas escavadas na rocha com chaminés que apelam ao fantástico, pelas igrejas acomodadas em cavernas e vilas subterrâneas escavadas pelos seus moradores há mais de dois milénios.
 
Em 2013, construtores encarregados de demolir casas de baixo orçamento que polvilham a zona junto ao castelo de Nevşehir, encontraram entradas para uma teia de túneis e divisões subterrâneas. Perante a descoberta, o projecto de demolição foi parado e iniciaram-se as investigações com arqueólogos e geofísicos.
 
Em 2014, os túneis levaram investigadores a descobrir um complexo subterrâneo com vários andares e que incluem divisões como salas de estar, cozinhas, adegas, capelas, escadas e locais para produzir óleo usado em lâmpadas para iluminar a cidade. Nessa altura, foram também descobertos alguns artefactos como tiras de couro, cruzes de pedra e de cerâmica, que indicam que a cidade foi usada desde a época bizantina até à conquista otomana, afirma a National Geographic. Quando ameaçados por invasores, os cidadãos da vila subterrânea recuavam para dentro do complexo e bloqueavam os túneis de acesso até que o perigo passasse. Um geofísico da Universidade de Nevşehir estima que a cidade tenha quase 460.000 metros quadrados e que os seus túneis mergulhem no solo até cerca de 113 metros de profundidade.
 
“Maior parque de antiguidades do mundo?"

O presidente da câmara de Neveşehir, Ünver, afirmou que pretende fazer do novo complexo o maior parque de antiguidades do mundo já que esta nova descoberta “é uma nova pérola, um novo diamante, um novo ouro” para a riqueza da região, segundo a National Geographic. A atracção terá hotéis de charme, galerias de arte à superfície, trilhos para caminhadas e um museu debaixo do solo.
Entretanto, o complexo residencial que se pretendia construir inicialmente na região será relocado para os subúrbios e as escavações feitas pela equipa de arqueólogos continuarão na região. “Quando a cidade subterrânea sob o castelo de Nevşehir for completamente revelada, é quase certo que mudará dramaticamente a Capadócia”, garante Murat Gülyaz, o director do museu de Nevşehir.
 
(Fonte: Observador)

8.1.15

Descoberta cidade subterrânea com 5 mil anos

Uma equipa de arqueólogos turcos acaba de confirmar a descoberta do que se julga ser uma das maiores e das mais antigas cidades subterrâneas do país. Os vestígios terão cerca de 5 mil anos e estão localizados perto da cidade turca de Nevşehir.
Segundo informação avançada à imprensa local, a cidade arqueológica nasceu há 5 mil anos. Foi descoberta por construtores que se preparavam para erigir no local um novo projecto imobiliário, que foi entretanto cancelado.
De acordo com o jornal turco Hurriyet Daily News, esta poderá ser "uma das maiores cidades subterrâneas do mundo".
A cidade já foi oficialmente registada pela Associação de Preservação do Património Natural e Cultural da Turquia.
A descoberta tem igrejas e várias galerias que estarão ligadas por túneis de vários quilómetros.

Capadócia é rica em cidades subterrâneas

 A Capadócia foi um "terreno fértil" em termos de cidades subterrâneas, uma vez que a sua rocha vulcânica era de fácil escavação.
Até à data, a cidade subterrânea mais conhecida de Nevşehir era Derinkuyu, situada a cerca de hora de viagem da nova cidade.
Derinkuyu, que se acredita ser do século VIII antes de Cristo, ocupa uma área que teria capacidade para albergar "milhares de habitantes".
 
(Fonte: Boas Notícias)

27.1.14

Basílica bizantina descoberta no fundo do lago Iznik

 
 Os vestígios de uma antiga basílica foram descobertos a cerca de 20 metros da costa, no Lago Iznik, por funcionários que estavam a fazer fotografia aérea da cidade para um inventário histórico e arqueológico. Os alicerces da igreja encontram-se submersos a cerca de 1,5 metros de profundidade. Arqueólogos, historiadores e historiadores de arte que estão a trabalhar na igreja, estimam que a basílica colapsou durante um terramoto que ocorreu na região no ano 740. Descobriram que foi construída em honra de Santo Neófito, que foi morto com 16 anos por soldados romanos em 303, antes do Édito de Milão, que estabeleceu tolerância religiosa para com os cristãos no Império Romano. 
 
(Fonte: Hurriyet Daily News)