11.4.07

Antiga cidade de Cnido à espera de patrocínios


A antiga cidade cária de Cnido, famosa como centro de arte e cultura no século IV a.C., localiza-se no extremo da península de Datça, perto de Bodrum. Foi construída parcialmente na parte continental da Anatólia, e parcialmente na ilha de Triopião. Era ligada por dois grandes portos que permanecem mais ou menos intactos na actualidade. Um dos portos localiza-se no Mar Egeu e outro no Mar Mediterrâneo.
É descrita por Estrabão como “a cidade que foi construída para a mais bela das deusas, Afrodite, na mais bela das penínsulas”.
A antiga cidade de Cnido era uma cidade avançada em termos de ciência, arquitectura e artes. Foi a casa do famoso astrónomo, matemático e filósofo Eudoxo, do historiador persa Ctesias, assim como de Sóstrato, o construtor do célebre Farol de Alexandria. Os discípulos de Eurifon fundaram a segunda mais famosa escola de medicina do seu tempo em Cnido. Também o relógio de sol, desenvolvido por Eudoxo, um grande inventor do seu tempo, atraiu numerosos turistas locais e internacionais. A antiga cidade de Cnido teve a sua quota parte de habitantes de renome ao longo da sua história.


Cnido tem também algumas das ruínas mais impressionantes da península de Datça. A ágora, dois teatros com capacidade para 20 000 e 5000 pessoas, um odeão, o templo de Dionísio, o templo das musas, o templo de Afrodite, decorado em tempos com a lendária estátua de Afrodite de Praxíteles, e muitos outros edifícios, apara além de estátuas quase intactas de Deméter.
O nome actual de Cnido é Tekir, que aguarda patrocínios para a realização de trabalhos de restauro na cidade. De acordo com o presidente da Câmara de Datça, Mustafa Kaya, o templo coríntio e a antiga fonte precisam de ser restaurados, o que requer algum apoio financeiro, bem como fornecimento de electricidade. A antiga cidade de Cnidos não possui electricidade, sendo alimentada através de gerador.
Kaya disse que “a área onde Cnido está situada é também um pequeno porto no qual os barcos ancorados precisam de electricidade, e um gerador não pode suprir todas as necessidades. Quando encontrarmos um patrocinador, a antiga cidade e os barcos no porto irão ter electricidade e os seus problemas serão resolvidos.”
Revelou ainda que promoveram a cidade de Cnido: “Preparámos cerca de 2000 cd’s para Cnido, com alguma informação promocional e fotografias. Outro dos nossos planos é publicar um livro sobre a nossa antiga cidade.”

3 comentários:

Paulo Villela disse...

Lídia,

Tudo bem?
Cnido tem sua importância histórica e assim como outras regiões merece todo o apoio para que sua cultura e história seja preservada.
Veja só? Possui um ruína de um teatro para 20.000 pessoas. Nos tempos modernos isso é uma raridade. Imagine para a época...

ótima semana!
abs

james disse...

Interessantíssimo o blog da senhora!
Chegei até aqui através do Palavras Cruzadas da Dona Belinha.
Estudo, e amo, a história e pretendo ler tudo que a senhora generosamente está nos fornecendo.

Um abraço.

Venor disse...

Olá, Lídia.
Continuo a gostar das tuas crónicas da Anatólia e continuo a espreitar por esta tua janela com o mesmo entusiasmo de sempre. Por isso, o meu olá especial com votos de uma bela continuação da tua estadia pela Turquia. Bjs.